22 de ago de 2006

A construção da homossexualidade

Ser alguém é sempre uma tarefa difícil.Descobrirmos quem somos, e porque o somos e algo ainda mais trabalhoso. Todos queremos ser aceitos, respeitados e livres. E ás vezes para termos isso, vivemos dentro de um estereótipo criado pela sociedade. Abaixo segue um texto que achei bárbaro. Ótima semana a todos.

A construção da homossexualidade*

Acabei de ler um livro muito interessante: "A construção social da homossexualidade", de Kenneth Norton. A tese principal é a de que a homossexualidade e heterossexualidade são comportamentos adquiridos socialmente e os fatores psicológicos têm importância mínima na sua constituição. Para o autor o que convencionalmente se chama de homossexualidade não é nada mais do que uma série de estereótipos sociais que são criados pela cultura heterossexual e introjetados pelos homossexuais que se tornam os seus principais agentes de difusão.

Continuamos sonhando com o Brad Pitts estereótipos são formados da seguinte forma: como a cultura humana consagrou a heterossexualidade como o normal, ela estigmatiza a homossexualidade como anormal. Essa anormalidade estaria baseada no fato dos homens abrirem mão da sua masculinidade e se deitar como uma mulher segundo a descrição bíblica. (vejam que o homossexual é apenas o passivo porque o ativo, apesar de estar transando com uma pessoa do mesmo sexo, continua fazendo o seu papel de homem...). Como o homossexual abriu mão do seu papel de homem ele se torna um sujeito estigmatizado que não está apto a cumprir as funções inerentes à masculinidade. Em função disso, não podem ter ocupações tradicionalmente exercidas por homens. Uma vez negado esse exercício e introjetada essa idéia eles passam a desempenhar ocupações ligadas ao feminino. (Aqui acho que ele tem alguma razão. Muitos de nós quando se descobrem gays acham que necessariamente tem que ser cabeleireiros e vai por aí). Como a homossexualidade é vista como abdicação da masculinidade a conseqüência disso é negação do pertencimento ao sexo masculino.

Segundo o autor, os gays são os primeiros a se negarem esse pertencimento. O autor mostra como os próprios gays tratam um aos outros segundo os estereótipos de bicha, viado e outros, dificultando a própria articulação política do grupo pela introjeção da depreciação advinda da orientação sexual (isso é a mais pura verdade).

As partes mais interessantes e polêmicas são as conclusões tiradas da análise do imaginário gay. Para o autor o ideal masculino gay é a do macho branco heterossexual. As três características desse ideal são usadas para analisar as relações existentes dentro da própria comunidade gay. Da característica da masculinidade, presente nesse ideal, resulta a discriminação dos homossexuais efeminados. Outro dia estava conversando com um amigo que teve uma agência de namoro e ele dizia que a maioria dos clientes colocava essa exigência em primeiro lugar. Quem folhear as páginas de anúncio da revista private vai perceber a mesma coisa.

* César Augusto publicou este texto na lista de discussão "encontrosdorod" em fevereiro de 2001.

6 comentários:

Beija-Flor disse...

Muito boa essa informação.
Visualizar os problemas é o primeiro passo para conseguir solucioná-los.

3:54 PM
Eduardo disse...

Hum, não sei, mas esse texto me parece meio preconceituoso (ou esse era o objetivo?), mas é a minha opinião, leia-se bem isso. Mas é também um amplo campo de discussão.

Mesmo não gostando do texto, esse foi um post feliz!
Abraços

6:33 PM
Tônio disse...

Não acredito em construção(parece aquele papo furado de opção) da homosexualidade, acredito sim em aceitação do que se é (eu não sou gay porque a sociedade me axa anormal, sou porque nasci assim), com certeza o preconceito parte num primeiro momento dos gays para eles mesmos, se eles fossem mais unidos a luta seria mais acertada, mas também não gosto de muitas atitudes de nós gays como um todo. Acho que até tenho preconceitos quanto a nós gays também, Mas abafa isso, não vou ficar julgando ninguém. Reipeito seria um bom começo e parar de ler textos que tentam nos definir (visão míope-restritiva/taxamento) seja um segundo passo (não sou rato branco nem macaco pra ficarem tentando me analisar e dizer quem sou, me respeita e pronto, viveremos em harmonia pois sou uma pessoa educada).

8:58 AM
RodrigoBrower disse...

Espero que todos leiam com atenção o texto, pq o autor diz que está se discutindo que a heterossexualidade e a homossexualidade são comportamentos sociais criados. Ele não fala em momento algum dos desejos, ou de nossa individualização, mas faz uma ánalise enquanto o grupo! ;D Bjs pra todos.

10:23 AM
Menino G disse...

"O Homem pariu a mulher"
Muitos dos comportamentos tanto homos como heteros são criação da sociedade realmente e concordo com o texto nesse ponto. Algo a se discutir é que o machismo sobreviverá justamente entre os gays, o que é uma pena. Deviamos pensar nisso, pois ja me relacionei caras um tanto afeminados que foram muito ativos(ou cumpriram o seu papel de homem, se preferir) mas até do que muitos machões por aí.

3:45 PM
Henri Louné disse...

Enquanto lia o texto percebi uma pessoa conhecida ae...pareci que vi meu amigo no texoto..igualzinhu.

12:25 PM
 

©2009BLOGAYROZ | by Foxx