27 de out de 2006

Duas faces da mesma moeda?


Abrir o jogo... Contar para todo mundo! Ser eu mesmo, ser quem eu quiser. Ou não ser ninguém, ser eu mesmo, para mim mesmo! Dúvida cruel, não? Pois bem, aposto como todos nós já passamos por este momento, face-to-face com o destino, com o resto da tua vida (E com o resto do mundo, também, por tabela)... Afinal, realmente é necessário sair contando para quem quiser ouvir que eu sou gay? É realmente imprescindível para ser feliz ter que assumir? Para família, para amigos, colegas de trabalho? No meu entender, a única pessoa que realmente precisa saber que eu sou assumido sou eu mesmo! Sim, ter plena certeza do que sou, do que gosto e me sentir bem com o que sou...OPS! Com QUEM sou!
Calma, não vou levantar a bandeira da enrustidão! Não é isso que quero falar... O que me fez vir aqui é perguntar: Preciso mesmo sair dizendo “ Pessoal, sou gay, ok?! “ ? Não acho necessário, não... Primeiro de tudo, acho importante exigir respeito pela pessoa que sou, independente do sexo do meu parceiro. Esse é o passo mais importante, muito mais do que dizer que sou gay, bi, tri ou qualquer outra coisa. E, quem te gosta, ama ou curte, vai logo perceber que é irrelevante o fato de que eu quero é outro homem ao meu lado, não uma mulher. Venhamos e convenhamos, o que faço entre quatro paredes, não me torna melhor ou pior profissional, amigo, cidadão ou parente.
Mas, o mundo não é tão fácil assim... Abrir o jogo para a família é complicado, para não dizer traumático. Entre amigos, é uma via de mão dupla: alguns podem rir e comentar “ Eu já sabia! “, outros podem te virar as costas (Bem, mas quem faz isso, realmente será que era meu amigo?). E no trabalho? Bem, a não ser que eu esteja paquerando algum colega de trabalho, para que eu vou contar?
Bem, vou relatar o meu caso... Em família, a coisa é sublimada. É óbvio que todos sabem, mas nunca fui questionado sobre isso. Bem, fui um pouco na adolescência, mas depois esse assunto morreu. Algo me diz que eles aceitam, não questionam, mas também não querem ouvir isso claramente. Mas, tudo sem neuras, sem traumas, nada... Ok, pelo menos agora... Pensem: Estou a (Deixa-me contar no calendário...) 40 dias de completar 33 anos, não apareço com uma namorada desde os 16 anos em casa, tenho amigos gays, um monte de amigas, poucos amigos homens (Héteros)... Será mesmo que preciso contar? Rssss... Mas, para a minha irmã eu contei! Sabem o que eu ouvi? “ Tá e daí? “ !!!!! Rssss... Caso resolvido!
Entre amigos, todos sabem. Héteros, melhor dizendo... Os gays, bem, não precisava nem dizer, né? E tudo rola OK, sempre sou o sal da festa da minha turma de OLD & GOOD FELLAS! Nunca me esquecem, me chama para tudo, até para ser padrinho de casamento! Rssss... Não faço propaganda da minha sexualidade quando alguém novo na turma aparece, mas também não fico me policiando ou fingindo ser o que não sou... Muito menos fugindo de assuntos onde tenho que deixar claro a minha orientação... Sabem? Bancando o assexuado... Aquele que diz “ Estava namorando uma PESSOA...
E no trabalho, bom, trabalho não é lugar de discutir vida pessoal, né? A não ser com quem virou teu amigo, ou que, pela forte convivência, a pessoa fica a par de sua vida além do âmbito profissional. Tipo, colegas diretos de trabalho, chefes, secretárias... Bom, a equipe que eu coordeno, sabe abertamente, não me importo de comentar, mesmo eu sendo o chefinho (Tem mais chefes, eu sou o primeiro chefe na hierarquia). Mas, como disse, a relação é de amizade. Com meu chefe, só uma vez eu falei muito levemente sobre o assunto, e foi assim, de uma maneira oportuna, fora do local de trabalho, na despedida de uma colega. E isso porque o assunto estava em discussão. Só. Mas, ele sempre soube. O resto do pessoal, sei que sabem, nunca me perguntaram nada, não falo, todo mundo me trata bem, me respeita.
Para mim, esta é a situação ideal... Não tenho do que reclamar. Está funcionando assim, e em time que está ganhando, não se mexe!
Beijos!

13 comentários:

HAIRYBEARS disse...

BEIJOS

11:50 AM
Silverboy disse...

A história da minha vida euheuhuehehe
Como você acho que existe uma linha bacana entre a liberdade de ser quem você é e a sua privacidade, merece saber quem esta na nossa vida de forma significativa, mesmo que ironicamente isso represente um "E daí?".

[]´s

3:39 PM
Lú - Rj disse...

"Eu sou aquilo que sou e se quiser me mudar vc vai se arrepender..."
Quem gosta de vc, quem é seu amigo, quem se importa com vc... vai gostar de vc do jeito que vc é. Independente de ser gay ou não.
Contar sobre isso... é só um mero detalhe!
Abraços!!

5:36 PM
Marcelo SunShine disse...

ConCordo..
|
Afinal de minah Sei Eu.. de meus prazeres.. eu.. Sim tbm não levantoa bandeira da vida Dupla.. não.. não Quero isto Para Mim, mais Sou novo.. e dependo de pessoas Ainda.. talvez saibam, mas não Questionam, Não sei se compreenderiam a situaçãos e fosse esclarecida ao pé da letra.. Assumida memso.. quem sabe quando eu estiver Andando com minhas próprias pernas.. As coisas fluam com uma maior aceitação.. enfim Quem sabe..
|
beijos queridos e se joguem..

5:58 PM
RodrigoBrower disse...

Eu não conto, só pra minha família fiz isso, mas não escondo. Se me perguntarem eu respondo..rs..Bjs amigo...

4:23 PM
tertu disse...

trinta,
cada caso é um caso.assumindo ou não, vc paga um preço perante a sociedade. tbm teve a ver com a situação econômica,nível cultural e papapapapapá!
li na G um artigo do bárbaro jean willis onde ele dizia: você já perguntou a um hetero quando ele se assumiu hetero?
acho sinceramente que vc tem uma "sexualidade" e não uma "opção(palavra gasta)ou uma homossexualidade.se você se excitou...
parabéns pelo belo texto!
asb.tertu

5:29 PM
Bam disse...

É isso ai...em time q ta ganhando não se mexe mesmo...tbm acho q não deve levantar a abndeira sendo q não precisa...Muito bom o post!!! To adorando esse Blog aki...Bjos a todos

8:46 PM
Arthur Ferraù disse...

Uma amiga me perguntou uma vez se eu era gay. Respondi: o que isso muda? E ela: nada... E eu: o que você acha, que sim ou que não? E ela: eu acho que sim. Emtão eu respondi: então tá, sim!

Não consigo entender nenhum tipo de segregação: racial, sexual, econômica... nada!!! Não levanto bandeira, mas se muita gente vive essa vida dupla é por medo de piadas, de serem expulsos de casa entre outras inúmeras coisas.

Ótimo post!!! Acredito verdadeiramente que temos que ser o que somos e, assim como você faz, Trintinha, ser humano. Se perguntar, assume. Se não perguntar, também não vou posar de "machão cata-todas" que pode não condizer com a realidade e muitas pessoas que suspeitam podem ver você uma biba que se trancafiou no armário do preconceito e do auto-preconceito que gera a "não aceitação" daquilo que se é.

Ab's!

11:08 AM
wakko disse...

Putz achei esse post brm interessante ... logo que eu li ja me veio a pergunta automatica ... "mas alguem já perguntou pra um hetero quando ele se assumiu hetero" ... como ja falaram sobre isso ... rs ... MAs eu acho que cada caso é um caso mesmo, exitem N motivos pra pessoas não se assumirem .. mas tbm comcordo que não precisa colar na testa ou fazer um index de todos que são ! RS RS RS

2:09 PM
Marco disse...

Cara, gostei muito do seu texto. Concordo com a frase batida de que "cada caso é um caso". Tem mesmo a ver com ambiente familiar, cultural, econômico, etc. Pois pessoas diferentes reagem das foirmas mais inusutadas.

Eu só falei para umas poucas pessoas bem próximas, que achei que mereciam saber. Para outras, tendo a não esconder mais, embora não vá sair por aí divulgando também.

Usando outra frase batida, pra mostrar o quanto isso varia caso a caso, "cada um sabe onde o sapato lhe aperta". Contar ou não contar (e para quem contar) depende muito disso.

Parabéns pelo post!

12:23 PM
Tônio disse...

Eu trato como um prêmio contar, se a pessoa merece me conhecer ao intimo, como sou realmente, recebe o prêmio, se a pessoa não merece ou ainda não está pronta para saber não merece o prêmio, fica no escuro. É incrível como tem gente que não merece saber, incrível como tem adolescentes preconceituosos neste mundo, logo os adolescentes que deveriam ter um novo pensamento, ainda conservam atitudes tão medievais. Ótimo post trintinha!!!!

8:20 AM
R. Sasi disse...

Quando isso aconteceu comigo, foi com se tivesse tirado um fardo das minhas costas!

Ufa. Alivio. Essa foi a sensação!

Abraço

2:27 PM
Anônimo disse...

iai gatoooo tambem sou gay q fica comigo

12:42 AM
 

©2009BLOGAYROZ | by Foxx