3 de dez de 2006

E se????

Eu tive um sonho este noite. Sonhei que a secretária de um executivo tinha falecido, e o homem estava profundamente chocado e infeliz. Fui falar com ele e dar os meus pêsames, e notei os olhos deles cheios de lágrimas, e ele tentando não chorar. Era um homem de mais de 50 anos de idade. Eu o abracei, para demonstrar meu apoio, e ele me abraçou. Mas então o abraço dele mudou, de uma forma sutil, como se as mãos dele quisessem sentir o meu corpo. Ele fez algum comentário sobre a minha juventude mas eu não consigo lembrar, lembro apenas das mãos dele, e de um desejo e curiosidade surgindo em seus olhos. Olhei para o homem, que havia vivido sua vida toda hetero, com filhos e talvez netos, e notei a curiosidade e o desejo que ele deve ter sentido muitos anos atrás mas nunca explorado. O olhar dele era como uma súplica cheia de desejo. Senti pena dele. Me desvincilhei do abraço e sorri, fiz de conta que não notei nada, dei meus pêsames novamente pela morte da sua secretária, e me afastei. Esse sonho foi tão real que acordei chocado.

Fiquei pensando em quantas pessoas que na certa existem, homens e mulheres pelo mundo afora, que quando jovens sentem desejos pelo mesmo sexo, sentem curiosidade, mas jamais tem coragem de explorar seu lado homossexual. Talvez seja curiosidade, talvez seja passageiro, ou talvez sejam bi ou até mesmo homossexuais mas não sabem. E por medo, falta de coragem ou de oportunidades, passam pela vida sem saber, sem experimentar, sem jamais tirar a dúvida. Sem jamais provar sequer de um beijo, um beijo singelo com uma pessoa do mesmo sexo. Viver, sem ter vivido? Morrer, sem ter se conhecido?

Como se em sua casa houvesse uma porta, e você nunca, jamais a abrisse. Imagine só. Você fica adulto, se muda para uma casa nova, e lá tem um quarto trancado. Você se pergunta o que será que há do outro lado da porta, o que há lá dentro? Mas você não abre a porta. De vez em quando, lá de dentro vem um perfume gostoso. Você não abre a porta! E de vez em quando, você ouve música, vozes, risos, coisas que te atiçam a curiosidade. Coisas que fazem você pensar, fazem você querer abrir a porta, mas você não tem coragem. E depois de muitos anos, depois de ter esquecido a porta, ter aprendido a ignorá-la, de repente você se lembra dela, sente que há algo lá. Você resolve abrir. Depois de muito procurar, encontra a chave, põe na fechadura. As mãos tremem, vacilam. Você gira a chave, tenta abrir a porta, e você quase vê o que está lá dentro, vê tudo o que deixou de lado, mas agora a porta esteve fechada por tanto tempo que emperrou e você não consegue abrí-a. E na sua vida não há mais lugar para o que estiver lá do outro lado. E o que você sente? Valeu a pena ignorar a porta por tantos, tantos anos?

Um recado para aqueles que tiverem visto a porta mas ainda não tiveram a coragem de abri-la. Assim como aquele velho ditado que diz que é melhor amar e sofrer do que jamais ter amado, também é melhor se conhecer e viver, do que morrer sem jamais ter se conhecido. Às vezes a verdade está lá fora (diria o Mulder), e às vezes a verdade está lá dentro. Ignorar essa possibilidade agora seria lembrar dela no futuro, quando todas suas escolhas já foram feitas, seria lembrar dele e pensar "e se". Como teria sido?

8 comentários:

Rafael Magnago disse...

Luciano parabéns pelo post
foi bem real
pior são akeles que casam, sabendo que são homos, e se casam somente pra mentir pra sociedade e sua esposa.
Temos muitos exemplos disso.
Quem aqui nunca levou uma cantada de um homem?
Abração a todos
Até mais

Não dar conselho pq o seu jah falou td q eu queria ter dito
abração
fuiizzzzz

5:18 PM
Felipe Moraes disse...

Amei esse texto....
Juro que senti vontade de copiar e por no meu blog (citando o crédito lógico.....rs*)
É realmente interessante ver como essa sua comparação faz sentido....
Quem sabe seu blog (assim como tantos outros) não possa ser uma chave para esse quarto?
Um abraço

3:30 AM
wakko disse...

Olha, gostei muito do seu texto, parabens. Acredito que na web existam lugares para se divertir e lugares para se refletir e a "tranformação" recente do blogayros transformou o blog de vcs em um lugar para relfexões bacanas.

Esse texto foi muito legal mesmo. Muito nele tem a logica do que queremos passar com o nosso blog. Um lugar para se divertir, um olhar para o mundo pelo olhar gay. Muita tem gente tem medo disso, pq o resultado é mais simples e normal do que esperariam que fossem. As pessoas deviam abrir mais suas "portas" pessoais e assim entenderiam que ser diferente é só não ser igual, pq nada na natureza é igual. Tudo é Unico!

8:25 AM
Silverboy disse...

Parabéns Luciano! Muito bacana o post, lembrei na minha adolêcencia em que abri a tal porta, mas depois fechei e tentei fingir que nunca estive lá, sou imensamente grato por não ter conseguido fingir e ser ou que sou apesar de qualquer coisa que tive que enfrentar.

[]´s

6:16 PM
Menino G disse...

Uou!!! Benditos todos aqueles que tem a coragem de ousar e procurar descobrir cada nuancia de seu ser.
Beijos, adorei a crônica. Vc tem talento rapaz. Apareça mais vezes.

6:24 PM
HAIRYBEARS disse...

ADOREI O POST .... OTIMO TEXTO

10:13 PM
Rick disse...

Mew!! Poraa, que post lindo!! Lindo texto, lindo mesmo.
Pootz, nem sei o que dizer...
Abraço.

10:39 PM
Tônio disse...

Eu não acredito que uma pessoa não saiba que é homossexual.(ponto) Acredito que não tenha coragem para experimentar, isso é difícil mesmo, sair do armário, enfrentar todos os próprios preconceitos, mas ser homosexual não tem como não saber, creio que para a mulher seja até possível não saber, mas para nós que temos que fazer o sangue jorrar e os vazos dilatarem impossível. Adorei o post, real mesmo. Abraço, Tônio.

5:51 PM
 

©2009BLOGAYROZ | by Foxx