21 de nov de 2006

Sob a porta da hipocrisia

Essa canção foi apresentada no festival de San Remo de 1996 pelo cantor Frederico Salvatore. Nela, ele narra a dura declaração de um jovem gay à sua mãe. Na época, ele ficou em 13º lugar na classificação geral do evento e criou uma série de polêmicas devidas ao argumento proposto (o amor homossexual) corajosamente e originalmente tratado na faixa: todos os amores por lá cantados eram exclusivamente heterossexuais e sua letra ia de encontro a isso. Vale lembrar que a opinião pública é sempre bastante conservadora quando o assunto homossexualidade vem à tona, por mais que nos bastidores essa mesma opinião pública se afirme liberal. Logo, num festival desse porte as pessoas não agiriam de forma diferente. Ele teve sorte de não ser desclassificado. A canção que ganhou nessa edição foi a baba-romântica "Vorrei Incontrarti Fra Cent'anni", di Ron e Tosca. Ela trata de um romance heterossexual cantado por um homem e uma mulher que estão super apaixonados entre si que ela chega a cantar: "Vorrei incontrarti fra cent'anni/Combatterò dalla tua parte/Perché tale è il mio amore/Che per il tuo bene/Sopporterei ogni male". Numa tradução rápida: "Queria te encontrar por cem anos/Lutarei do teu lado/Porque é tal o meu amor/Que pelo teu bem/Suportarei todo o mal". Precisa falar alguma coisa?

Abaixo segue tradução da canção. A letra original em italiano pode ser encontrada clicando aqui
.

SOB A PORTA
(Salvatore - Bigazzi - Dati / Tradução: A. Ferraù)

Mamãe estou aqui com as malas sob a porta
No carro tem um homem que me espera
A verdade, eu sei, te deixará nervosa
Aquele homem é o meu primeiro e verdadeiro amor
Com ele me sinto livre e feliz
Vivemos juntos e temos já uma casa
Não sou mais uma criança, mamãe, abaixe a voz
E pare de fazer este papel de vítima indefesa
Porque assim você perdeu até mesmo o seu marido
Aquele pobre leão que escapou como um coelho
Diante do monstro desse teu amor enferrujado
E te deixou este filho como refém
Mamãe estou aqui com as malas sob a porta
Com todas as dúvidas e todas as minhas confusões
Porém me sinto forte e pela primeira vez
Eu não ligo para o que os vizinhos falam
Sob a porta, sob a porta, quantas vezes me parou sob a porta
Com aqueles falsos aborrecimentos que sumiam com a chegada do doutor
Mamãe no meu quarto coloquei tudo no lugar
Deixei as chaves ali sobre a dispensa
Vou sentir falta do teu café na cama
O nosso paraíso da infância
Quando o meu desejo era de te agradar
E então com o batom e com teu leque
No banheiro me trocava para ficar igual a você
Era orgulhoso de ser teu filho
Mas em uma maldita tarde na minha adolescência
Estudava junto de um rapaz e por causa da timidez
Sentia dentro um misto de prazer e sofrimento
E sobre a sua perna me escapou uma carícia
Oh, mamãe... fiquei tanto tempo aqui sob esta porta
À sobra das cores da sua saia
Fui para a cama com mulheres
Mas a cada vez
Voltava ao meu esconderijo como um lobo para a sua toca
Sob a porta, sob a porta, você sabia e me segurava sob a porta
E fechava os meus dedos e os meus sonhos sob a porta da vida
Mamãe estou aqui sob esta porta da hipocrisia
Com um emprego fixo e uma carreira promissora
Como um perfeito exemplo da média burguesia
Que não pode ter escandalosos sentimentos
Oh, mamãe... Você não entende como é falsa a moral?
A máscara de lama banhada na prata
Sou diferente, mamãe... sou um homossexual
E isto você tem como uma traição
Sob a porta, sob a porta, eu queria que você soubesse perdoar
Uma vez, uma vez, não coloque o sal sobre as minhas feridas
Como agora, sob a porta, você diz: vai, para você estou morta
Estou morta, estou morta... e bata na minha face esta porta...

7 comentários:

Beija-Flor disse...

Estou arrepiado!
É uma letra comprida, complexa, mas muito, muito linda!

Obrigado, Arthur, por tão belo post!

10:05 AM
Trintinha disse...

Amigoooooooooooooo! Tudo bem? Olha, o argumento da música parece bacana, sim, mas.... Será que um belo argumento, dá uma boa rima? A meu ver, não me pareceu assim tão bacana, não... E tb, música não é só uma bela letra... E a melodia? Tb não conta? não quero ser estraga-prazeres, não, longe de mim, mas.... Tb não achei a música asim, uma ganhadora nata!
Beijos!
PS - não vai ficar bravo comigo, vai? Rssss...

10:11 PM
Le Black disse...

Ainda não ouvi a música... vou baixar na net pra ouvir...mas a letra com certeza achei muito profunda, muito bonita...

11:06 PM
Rafael Magnago disse...

Muito bom o post Arthur
é até uma informação tbm
não conhecia ela
vou ver se consigo acha-la na Internet
nessa parte da letra onde fala da sociedade (vizinhos), eu nem comento nada, só querem saber do q eles acham normal pra eles.
abração
té mais
Rafael

1:33 PM
Menino G disse...

Cara, a musica trata de um assunto interessante, como ja disse em outros lugares nem vou comentar sobre a homofobia: estou cansado demais desse assunto. Mas não gostei da musica em si. Quando eu penso na homosexualidade eu lembro de Dois homens apaixonados de Cazuza e em Daniele na cova dos leõs, aliás essa ultima é linda.
Beijos

4:21 PM
Leo disse...

Galera como assim o frank morreu??? Num to entendendo nada naum tem como vcs nos passatem mais informações naum??? O que aconteceu como foi, tem muita gente apreensiva querendo saber. Como que as pessoas soh ficam sabendo depois de um mês. A gente precisa homenagear ele

9:09 AM
HAIRYBEARS disse...

ADOREIIIIIII

O TEXTO !!!!!!!!!

BEIJOS

11:47 PM
 

©2009BLOGAYROZ | by Foxx